Documentos FiscaisGestão de TransporteTransportadora

Romaneio de carga: qual sua importância para a transportadora?

6 minutos de leitura
Romaneio de carga: qual sua importância para a transportadora?
Daniel Brasil
Escrito por:
Atualizado em 25 de novembro de 2021

Índice

    O serviço de transporte de cargas exige bastante organização da transportadora, principalmente na etapa mais importante que é o próprio transporte de mercadorias. Para isso, o romaneio de carga é uma ótima ferramenta que atua facilitando a leitura de informações sobre os pedidos que estão sendo transportados.

    Como ele faz isso? Continue lendo este artigo para entender tudo sobre o romaneio de carga: o que é, sua importância, quem deve utilizar e como obtê-lo.

    Confira também um modelo de romaneio!

    O que é romaneio de carga?

    O romaneio de carga é simplesmente um documento que contém uma lista de informações sobre as mercadorias que serão transportadas em um veículo da transportadora.

    É como se fosse um checklist onde você encontra diversas informações sobre as entregas embarcadas: número do CTe, remetente, destinatário, origem, destino, peso, quantidade, valor da nota fiscal, valor do frete, etc.

    Para que serve o romaneio de carga?

    Como já falamos anteriormente, o romaneio de carga serve como um checklist para a transportadora. Dessa forma, sua principal função é ajudar na conferência dos produtos, tanto na hora do embarque quanto no desembarque, o que facilita significativamente o trabalho do motorista ao fazer suas entregas.

    O documento também facilita nos momentos de fiscalização, quando o veículo é parado durante o transporte. Mas é importante ressaltar que ele não substitui os documentos fiscais DACTe e DAMDFe, uma vez que, através desses dois, o órgão fiscalizador faz a leitura do código de barras para inspecionar a transportadora digitalmente.

    Quando dever ser utilizado?

    É importante saber que o romaneio de carga é obrigatório apenas quando o Governo solicitar. Isso acontece em dois casos: na Instrução Normativa SRF 680 e no Regulamento Aduaneiro.

    Em ambas as situações, o Governo vai solicitar o documento “quando aplicável” e são apenas dois casos:

    1. quando o veículo atravessar uma fronteira internacional;
    2. quando a mercadoria transportada for uma carga perigosa, como medicamentos e combustíveis, por exemplo.

    A falta de cumprimento das obrigatoriedades acima pode gerar para a transportadora uma multa de R$500,00 devido à ausência do romaneio. 

    Fora essas situações, sua emissão é opcional para a transportadora.

    Quais são os benefícios do romaneio para a transportadora?

    O romaneio de carga oferece vantagens que vão além de um checklist dos produtos que serão transportados. Confira os demais benefícios.

    • Facilita acesso à informação para os clientes, uma vez que os dados no documento estão mais claros e servem para o cliente fazer o rastreamento da entrega.
    • Agiliza a conferência dos produtos que foram entregues, comparando os itens do romaneio com os comprovantes que foram assinados pelos clientes.
    • Ajuda na prestação de contas com o motorista, já que ele é o responsável pelo transporte das cargas.
    • Auxilia no gerenciamento de riscos, tendo em vista que as cargas transportadas podem sofrer prejuízos, como roubos, assaltos e avarias durante o trajeto. Nesse sentido, o romaneio pode ser solicitado pela seguradora para fazer a conferência das mercadorias, o que proporciona mais agilidade para a empresa ser indenizada.

    Existe diferença entre romaneio e Manifesto de carga (MDFe)?

    Não há relação entre os documentos, uma vez que o romaneio lista as mercadorias que serão transportadas, já o Manifesto de carga (MDFe) reúne os CTes (Conhecimento de Transporte eletrônico) que foram emitidos para o frete de uma carga fracionada.

    Apesar dessa diferença, os dois documentos servem para conferir melhor a carga e tornar esse procedimento mais ágil.

    >> Para saber mais: Guia Completo do MDFe

    Como funciona o romaneio de entrega?

    Similar ao romaneio de carga, o romaneio de entrega pode ser utilizado quando há apenas um veículo para entregar diversas mercadorias em locais diferentes.

    Para fazer o documento, basta abrir uma planilha em Excel e listar numa página os produtos que serão entregues e seguidamente ordená-los em números, lembrando de deixar um campo com código para os destinatários.

    Feito isso, é preciso inserir na outra página, de forma numerada, as empresas que receberão as mercadorias, seus endereços e observações quanto à entrega, como horário e responsáveis pelo recebimento.

    Dessa forma, o processo de entrega torna-se mais organizado para o motorista e para a transportadora.

    Quem pode emitir o romaneio de carga?

    Qualquer transportadora pode fazer o romaneio de carga. Em empresas de transporte menores, o checklist pode ser feito pelo integrante da equipe logística. Já no caso de transportadoras com alta demanda, o gestor logístico costuma ser o responsável por essa atividade.

    Porém, em ambas as situações, a criação do romaneio de cargas pode se tornar um processo lento quando a transportadora não faz uso de ferramentas que auxiliem nesse sentido.

    Como emitir o romaneio de carga?

    Não há um modelo oficial para o romaneio de carga, mas é importante ter atenção às principais informações que não podem faltar no documento para fins de conferência. São os seguintes dados:

    1. Informações do veículo e do motorista;
    2. Notas fiscais;
    3. Informação do CTe;
    4. Nome do remetente e do destinatário;
    5. Origem e destino da carga;
    6. Peso;
    7. Peso cubado;
    8. Volume;
    9. Valor na nota fiscal e do frete;
    10. Total das entregas.

    Confira abaixo um modelo de romaneio usado por transportadoras.

    modelo de romaneio de carga

    Criando o romaneio de carga facilmente

    O uso de planilhas é uma alternativa básica para quem deseja fazer o romaneio, basta ter um modelo de documento como o exibido anteriormente e reproduzir os campos que devem ser preenchidos.

    Entretanto, essa atividade manual causa mais tempo de trabalho e ainda gera o risco de confusões no checklist, devido aos possíveis erros de digitação.

    Por causa disso, usar uma ferramenta digital e voltada para transportadoras faz mais sentido. É o caso do Sistema de Gerenciamento de Transporte (TMS), que puxa os dados da transportadora, dos clientes e dos CTes para que o romaneio de carga seja construído automaticamente.

    Dessa forma, a atividade feita pelo TMS proporciona mais agilidade (principalmente em momentos de alta demanda) e confiabilidade das informações para quem manuseia.

    Vale ressaltar que, gerar o romaneio é apenas uma das diversas funcionalidades que o sistema TMS realiza. Esse software também oferece para as transportadoras:

    1. Emissão de CTe e MDFe em segundos e geração CIOT;
    2. Controle sobre o status de cada mercadoria, desde o embarque até a entrega;
    3. Sistema de gerenciamento das finanças da transportadora;
    4. Monitoramento de carga em tempo real;
    5. Gestão de frotas completa;
    6. Integração EDI para clientes de grande porte;
    7. Relatórios de desempenho;
    8. Integração com diversos sistemas.

    A cada ano que passa, a plataforma TMS vem se tornando ainda mais essencial para uma transportadora, uma vez que cada funcionalidade ajuda a aumentar o desempenho logístico através de atividades que otimizam o tempo da empresa, como a geração automática do romaneio.

    Quer conhecer mais do TMS e como ele pode melhorar o desempenho da sua transportadora?
    Faça seu cadastro e receba a ligação do nosso consultor especialista em TMS.