Conheça a tarifa de transporte certa para cada operação

Quais tarifas usar no transporta de carga fracionada, carga fechada, carga volumosa, entre outras para não sair perdendo?

Atualmente, a principal forma de transportar cargas é por meio da rede rodoviária, tornando o mercado cada vez mais competitivo. Gestores devem se mostrar mais competentes quanto a forma de administrar o negócio, determinando também valores que possam manter o empreendimento. Para auxiliar no processo para formar as tarifas foram desenvolvidos parâmetros ligados ao serviço, com destaque para a distância, peso e dimensão da carga,entre outros.

Compondo a tarifa

Formar valores a serem cobrados pelo transporte rodoviário de carga se baseiam em três componentes: o frete por peso, o frete – valor e as taxas extras ou complementares.
O frete – peso diz respeito a parcela da tarifa que custeia o transporte de mercadorias entre dois pontos. Nela deve-se incluir os custos diretos e indiretos da operação. Estão inclusos no cálculo as despesas com o veículo, custos administrativos, mão de obra e a taxa de lucro. A soma dessas variantes irá constituir o custo fixo referente a operação de cada empresa.
O frete/peso será composto basicamente dos custos operacionais, que podem variar de acordo com a transportadora. Para determinar esses valores é importante levantar os custos das despesas para analisar o desempenho da companhia. A taxa de lucro deve ser introduzida por um fator acima de 1, o qual será multiplicado de acordo com a quilometragem a ser percorrida. Algumas empresas adotam 11% ou 12% (geralmente) sobre o lucro, contudo cabe ao gestor determinar o percentual, levando em consideração a competição do mercado.

Frete X valor

Algumas empresas adotam o termo ad-valorem, mas ambos têm a mesma função: equilibrar custos e receitas quando há imprevistos como acidentes ou avarias durante o transporte. Trata-se de uma cobrança que se refere ao tempo em que a mercadoria fica em poder da transportadora. A composição deve ser feita levando em consideração as despesas com seguro obrigatório pago pela transportadora, mão de obra especializada, controle de material, despesas para armazenamento e aos demais riscos em que a atividade está sujeita.

Taxas complementares

Outros componentes tarifários, tais como taxas oficiais, pedágios e impostos também devem ser inseridos no valor das taxas cobradas pelo transporte. Elas podem ser agregadas a cobrança referente ao frete – peso e ao frete – valor, resultando em um preço total a ser cobrado. Algumas empresas ainda adicionam a Taxa de Despacho por emissão de conhecimento e o CAT (Custo Adicional de Transporte Rodoviário), além de outras despesas inerentes ao transporte de cargas.

Principais taxas que podem ser inclusas

Pedágio: Sempre que houver pontos de cobrança de pedágio ou o uso de meios auxiliares devem ser transferidos ao usuário de acordo com a lei nº 10209/2001, que determina o rateio do custo referente ao pedágio no caso de transporte de cargas fracionadas.
GRIS: O Gereanciamento de Risco e Segurança (GRIS), é a cobrança de percentual referente a cobertura de custos decorrentes das medidas para evitar o roubo de cargas, independentemente da distância que será percorrida. O percentual pode variar conforme o produto, o percurso, faixa de valor agregado e outros.
TDE: a Taxa de dificuldade de entrega visa ressarcir o transportador pelos custos adicionais, quando houver dificuldade em entregar devido a: recebimento por ordem de chegada, indiferente a sua quantidade ou volume; recebimento precário, ocasionando mais tempo para a operação; exigência de mão de obra especializada ou tripulação além da usada comumente; recebimento fora do horário comercial e outras disposições que podem aumentar os custos da operação.
Sempre que for compor o preço, opte pela possibilidade de oferecer algum desconto ao cliente, sobretudo se for fideliza-lo. O ideal é elaborar uma tabela e qual será o percentual que pode ser descontado. Só não pode oferecer valores que farão operar no vermelho.

Quer saber mais informações valiosas para quem atua no setor de logística? Continue acompanhando nosso blog e conheça as principais novidades do segmento. Leia também nosso post com algumas consequências que você pode ter com o cálculo errado do frete!

Hive.Cloud
Sem Comentários

Deixe um comentário

Comentário
Nome
Email
Website