Gestão de Transporte

Controle da Ociosidade: O segredo para otimizar o transporte e reduzir custo

3 minutos de leitura
Controle da Ociosidade: O segredo para otimizar o transporte e reduzir custo
Hivecloud
Escrito por:
Atualizado em 10 de dezembro de 2021

Índice

    Muitos gestores que atuam com frotas podem ter pelo caminho diferentes situações que acabam aumentando a ociosidade. Os fatores são muitos e vão desde a manutenção em dia dos veículos até o controle do ponto dos colaboradores, que podem comprometer o andamento das atividades.

    Para minimizar o tempo em que os veículos ou funcionários ficam parados, elaboramos algumas dicas para contornar os casos em que existem perdas geradas pela ociosidade.

    Otimização dos transportes em relação aos ativos

    Um dos principais motivos para a ociosidade se dá pelo fato das entregas serem feitas de forma unidirecional, sendo raros os casos em que há sincronia do volume das cargas, direção e outras variantes para cargas de retorno.

    Apesar das empresas que tratam exclusivamente de transportes calcularem alguma taxa ou sobrepreço referente a ociosidade de retorno (quando o veículo fica sem carga quando volta para o ponto de origem) aquelas que fazem o transporte de seus próprios produtos ainda podem ter prejuízo.

    O ideal é que elas adotem um sistema que preze pelas rotas diárias, a fim de ter economia de escala nos percursos. Para isso, essas companhias podem adotar operações focadas em reconsolidação de cargas, as quais devem ser alocadas em pontos estratégicos da rede.

    Os veículos podem ser usados para a transferência de produtos entre os armazéns da rede, visando uma melhoria das atividades com os ativos da companhia e diminuição da ociosidade.

    Muitos gestores não se atentaram que ao fim de cada mês, as empresas contratantes de serviços de cargas necessitam cumprir metas e isto acaba encarecendo o serviço de cargas.

    Cabe a ele identificar quando ocorre a retração de volume de transporte e não fazer como muitos deles, que afirmam que o fim do mês compensa o período de ociosidade – que dependendo do caso pode chegar a mais de 60% da capacidade do veículo.

    Como minimizar motivos que levam a ociosidade

    Muitas dificuldades referentes à ociosidade poderiam ser contornadas apenas com um sistema de rastreamento eficiente, que acarretará em roteiros de acordo com a demanda. O rastreamento permite aumentar o conhecimento de transporte rodoviário de cargas e definir as rotas mais interessantes para o negócio, compostas com vias de menor tráfego de veículos, com menores riscos de acidentes e melhores condições (asfalto, sinalização, entre outros). O gestor pode avaliar o tempo de giro de cada veículo e buscar formas de reduzi-lo.

    Além disso, é possível analisar o desempenho dos condutores, premiando aqueles que trataram melhor do veículo e da carga e oferecer treinamento para aqueles que não tiveram o desempenho esperado.

    Vale ressaltar ainda um fator que pesa para aumentar a ociosidade e que diz respeito à manutenção da frota: com a revisão em dias, o veículo não fica no meio do caminho e não gera prejuízo, seja de tempo ou seja de recursos.

    As empresas também devem se adequar às normas das autarquias reguladoras com destaque para a ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres, bem como os sindicatos os quais os funcionários estão vinculados.

    Muitas empresas não atuam dentro das especificações determinadas pelas reguladoras e podem sofrer penalizações e ainda correr o risco de ficar com veículos ou funcionários parados.

    Vale ressaltar que tanto as companhias especializadas em transportes quanto aquelas que atuam em outro segmento, mas possuem um setor de logística, precisam estar em dia com as obrigações.

    Este artigo foi útil para você? Quer saber um pouco mais sobre como melhorar a gestão em logística? Continue acessando o Hivecloud.