Cotação de fretes: como garantir o lucro na operação da sua transportadora

Em operações de e-commerce e de vendas remotas, como televendas, um dos maiores desafios é o cálculo adequado do valor a ser cobrado para o frete. Muitas empresas de logística, ao prestarem esses serviços, podem deixar de considerar uma série de critérios na determinação de seus preços, fazendo com que a operação possa até mesmo ser deficitária em relação a uma série de custos existentes.

A demora na cotação, ou um valor excessivo, podem resultar na perda da oportunidade de prestação do serviço de transporte. Por esse motivo, uma cotação rápida e precisa é essencial para o bom desempenho de uma empresa de logística.

Mas como saber se o valor a ser estabelecido para o frete de uma mercadoria está adequado? A primeira coisa a fazer é avaliar se todas as variáveis estão realmente sendo levadas em consideração.

Entenda a origem dos valores

Diferentes empresas de logística podem adotar diferentes critérios para o estabelecimento de valores de frete. Até certa medida, isso está correto, pois conforme o modelo de operação da empresa, alguns fatores serão mais determinantes do que outros na hora de estipular o valor do serviço.
De forma geral, entretanto, o valor do frete é estabelecido a partir dos seguintes elementos:

Peso e volume:

Tanto o peso da mercadoria a ser entregue como o seu volume (decorrente de suas três dimensões) são aspectos que devem ser levados em consideração na hora de formular o preço. O peso pode impor limites no tanto de carga a ser transportado, assim como o volume, devido aos limites físicos dos veículos. Uma técnica muito comum é a utilização do maior valor entre o peso bruto da carga e o seu peso cubado (distribuído por seu volume). Por exemplo, se a carga pesa 10 kg e ocupa 2 m³, e as tarifas (hipotéticas) são, para um determinado percurso, R$ 10 por kg e R$ 30 por kg/m³, teríamos um valor de R$ 100,00 pelo critério do peso bruto (10 kg x R$ 10/kg) e R$ 150,00 pelo critério do peso cubado (10 kg / 2 m3 x R$ 30 kg/m³). Dentre os dois valores, prevaleceria o maior (R$ 150,00).

Valor da nota fiscal:

O valor da mercadoria pode ter um impacto no valor do serviço prestado, pois as mercadorias não podem ser tratadas levando em conta apenas suas características físicas. O valor da mercadoria afeta valores de seguro de cargas, e por esse motivo devem ser uma das variáveis de entrada no cálculo do valor do frete.

Distancia percorrida para a entrega:

A distância entre o local de origem e o de destino é mais uma das variáveis que devem ser consideradas para o cálculo do valor de frete, pois para muitas empresas, o valor é estabelecido a partir de uma tabela que considera a quantidade de quilômetros percorridos. De fato, a distância tem um impacto no número de pedidos que a empresa irá conseguir realizar com uma mesma quantidade de veículos e, portanto, deve ser considerada na formulação do valor do frete.

Incidências

Além dos fatores considerados na formulação do preço, é preciso levar em conta a possibilidade de algumas taxas adicionais incidirem sobe o valor do frete. Vejamos algumas delas:

GRIS (Gerenciamento de riscos):

Essa incidência está associada às medidas de combate ao roubo de cargas e, portanto, relaciona-se ao valor dos itens em transporte. Pode compreender também o custo do seguro facultativo de desvio de cargas.

Ad valorem:

Também conhecido como frete-valor, é uma taxa sobre o valor da mercadoria, associado aos riscos de avarias durante o transporte ou transferência das mercadorias. Essa taxa costuma também ser proporcional ao tempo em que os bens permanecem sob os cuidados da transportadora.

Pedágio:

O pedágio é um custo da transportadora, uma vez que a lei 10.209 tornou obrigatório o fornecimento de vale-pedágio ao carreteiro, tornando essa despesa de responsabilidade do embarcador. Por esse motivo, deve integrar o custo do frete, que pode ser fracionado entre as diversas mercadorias que integram uma carga.

Cálculos precisos

Com tantas variáveis a serem consideradas de tantas formas diferentes, a automação dos cálculos é uma necessidade para a vasta maioria das empresas de logística. Poder contar com um sistema para a execução dessas tarefas traz segurança aos cálculos e evita possíveis prejuízos decorrentes de uma má formulação de preços de frete.

O Hive.cloud TMS, ao automatizar esses cálculos a partir das variáveis de entrada, permite que o preço formulado esteja adequado e proporciona aumento da rentabilidade da transportadora, ao mesmo tempo em que otimiza as suas operações.

Como a sua transportadora realiza os cálculos dos valores de frete? Eles são confiáveis ou existem deficiências já detectadas? Compartilhe suas experiências ou dúvidas conosco!

Hive.Cloud
Sem Comentários

Deixe um comentário

Comentário
Nome
Email
Website