Gestão de Transporte

O que é fluxo de caixa e qual a sua importância para as empresas de transporte?

3 minutos de leitura
O que é fluxo de caixa e qual a sua importância para as empresas de transporte?
Hivecloud
Escrito por:
Atualizado em 10 de dezembro de 2021

Índice

    Para manter a estabilidade e permanência no mercado do setor de transportes, as empresas não precisam somente captar mais e mais clientes. É muito mais importante conseguir realizar a manutenção do caixa das operações já vigentes e conseguir manter um fluxo de caixa positivo.
    Tendo em vista a importância do tema, resolvemos te ajudar através dessa publicação.

    Antes de tudo, o que é Fluxo de Caixa?

    O fluxo de caixa é o processo no qual o gestor permite analisar tudo que precisa ser pago e os recursos disponíveis para isso em um determinado período.
    Confuso ainda?

    Te apresentamos abaixo 5 conceitos importantíssimos para que você entenda o que é fluxo de caixa:

    1. Custos Diretos

    a) Custos Fixos – São aqueles gastos que não variam de acordo com a distância percorrida nas operações, como salários, seguros, licenciamento, e mais.

    b) Custos Variáveis – Os gastos que variam de acordo com a distância percorrida, como por exemplo: combustível, lubrificantes, pneus, manutenção;

    2. Custos Indiretos

    Esses são os custos que não podem ser reconhecidos de forma direta na operação. Por exemplo: aluguel de instalação de fábricas, depreciação, mão-de-obra indireta, imposto, seguro, e outros.

    3. Despesas

    Assim como os custos, foram ou são gastos. Porém há gastos que, muitas vezes, não se transformaram em despesas, por exemplo, galpão ou terreno, que não são depreciados, mas a sua manutenção será uma despesa no ato da venda.

    4. Gastos

    O gasto pode ser definido como o dispêndio financeiro que a entidade arca para a obtenção de um produto ou serviço qualquer; só existe o gasto no ato do reconhecimento contábil da divida adquirida ou na diminuição dos ativos dados em troca.

    5. Investimento

    Investimento é definido como uma expectativa que de um gasto, ele possa gerar lucros.

    Todas as empresas precisam no mínimo que seus gastos financeiros, ou seja, desembolsos (despesas) sejam monitorados, assim tudo que saiu do “caixa” para qualquer que seja a finalidade precisa ser contabilizado. Alinhado a isto temos as receitas (ganhos). Este dois itens, aplicados a um calendário, nos leva a pensar sobre o volume de recursos disponíveis (entradas financeiras: cartão, cheque, dinheiro, etc.) e o montante que precisa ser liquidado (pago).

    Como fazer o fluxo de caixa?

    A seguir temos um passo-a-passo no sentido de organizar estas informações lhe auxiliando na elaboração do seu Fluxo:

    1. O primeiro passo é identificar em um período, por exemplo mensal, todos as suas despesas, tais como: combustível, lubrificantes, pneus, mão-de-obra, seguros, energia, etc.

    2. Em um segundo momento, você precisará monitorar todas as suas fontes de recursos (receitas), por exemplo: contratos pagos, aportes financeiros de sócios, investimentos, etc. Estas informações podem ser reunidas em uma planilha eletrônica para melhorar a analise e tratamento dos dados.

    Através da aplicação desse sistema, o resultado da sua coleta de dados e organização, utilizando qualquer que seja o meio eletrônico, lhe permitirá ver a empresa de forma mais sistêmica. Tomando como base a periodicidade mensal, você empresário poderá planejar seus investimentos e aquisições como por exemplo: a troca da frota, renovação de seguro, mudança da base de operações entre outros.

    Abaixo, um exemplo de como fica um Fluxo de Caixa:

    Pensando na sua gestão de transporte, os softwares da Hive.cloud possuem integração com outras plataformas de gestão financeira, integrando as etapas de emissão de documentos, coleta, transporte, e rastreamento de entregas com a entrada e saída de dinheiro do seu caixa. Acesse agora e experimente grátis!