Gestão de TransporteLogística

Desafios e oportunidades na Gestão de Transporte de Cargas

8 minutos de leitura
Desafios e oportunidades na Gestão de Transporte de Cargas
Daniel Brasil
Escrito por:
Atualizado em 24 de maio de 2022

Índice

    A gestão de transporte de cargas sempre foi um desafio no cenário brasileiro.

    Apesar de termos um investimento em infraestrutura de transporte já considerado baixo, em comparação com outros países, desde 2011 assistimos a uma queda praticamente contínua desses investimentos, chegando a seu menor patamar em 2019 – quando equivaleu a apenas 0,14% do PIB.

    Para completar, o preço dos combustíveis, que representam cerca de 30% do custo com transporte, disparou em 2020, preocupando gestores da logística, que já precisavam cortar gastos com a crise iniciada pela pandemia de coronavírus.

    Neste cenário, encontrar novas formas de aumentar a eficiência e a economia nas organizações tem se mostrado crucial – e a tecnologia tem sido a grande aliada nesta tarefa.

    Confira neste artigo como a transformação digital está ajudando empresas de diferentes setores a otimizarem seus processos e garantirem melhores resultados na logística apesar da crise.

    Novos desafios na gestão de transporte de cargas

    Realizar a gestão do transporte de cargas em uma empresa exige controlar, do início ao fim, os processos relacionados à movimentação de cargas, incluindo a contratação de transportadores, planejamentos logísticos, roteirização, embarques, coletas, entregas, emissão de documentos e toda a informação relacionada.

    Além disso, o setor de Logística tem assumido cada vez mais responsabilidades, integrando processos que antes não faziam parte de seu escopo, como prover satisfação ao cliente e gerenciar a entrada de insumos na empresa.

    Desse modo, o setor enfrenta tanto desafios externos, relacionados à política brasileira e à economia mundial, quanto internos, ligados às novas responsabilidades assumidas pela logística nas instituições.

    Entenda um pouco mais sobre esses desafios!

    A questão da infraestrutura brasileira

    Quem trabalha com logística no Brasil sabe que alguns dos maiores desafios do setor estão relacionados ao baixo investimento dos setores público e privado nos transportes do país.

    Segundo estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA,  praticamente metade (45%) do déficit de investimentos requeridos em infraestrutura no Brasil vêm do setor de transporte.

    Na América Latina, o investimento público médio anual feito em infraestrutura na última década deixa o Brasil muito atrás dos outros países, incluindo México, Argentina, Chile, Uruguai, Colômbia e Peru.

    Em relação à percepção da qualidade do serviço de infraestrutura no Brasil, nosso país fica em 78.º lugar, numa amostra de 141 países, ficando atrás de Indonésia, Tailândia, Índia, Argentina e China, dentre outras nações em desenvolvimento.

    Apesar disso, não podemos esperar que as soluções para os problemas de infraestrutura de transportes no Brasil sejam solucionados rapidamente. 

    O gestor de logística precisa, mesmo neste cenário, encontrar meios de tornar seu gerenciamento de transporte mais eficiente e, ao mesmo tempo, econômico.

    O desafio é grande, mas a tecnologia tem sido cada vez mais relevante nessa tarefa.

    Continue a leitura para entender como isso acontece!

    Desafio #1 – Conferir as cobranças de frete

    Com a rotina intensa da gestão logística do transporte de cargas, pode ser difícil realizar a conferência de todos os documentos de transporte emitidos para a circulação das cargas.

    Isso porque eles são muitos, e incluem tanto os documentos levantados pelas transportadoras, quanto aqueles que precisam ser emitidos pela própria empresa que possui a carga.

    Por essa razão, é comum que os embarcadores não realizem, ou realizem por amostragem, a auditoria das cobranças das transportadoras, de modo que muitos Conhecimentos de Transporte emitidos com erros passem despercebidos num primeiro momento.

    As consequências disso vão desde o pagamento indevido dos fretes, ao aumento do centro de custo da logística, dificuldades em realizar o controle financeiro e até mesmo multas.

    A solução que muitas organizações estão encontrando para isso é a auditoria automática dos documentos de frete.

    Oportunidade: Auditoria automática do frete

    A auditoria automática do frete é uma solução inovadora proporcionada pela transformação digital na logística.

    Trata-se de um software de gestão de transporte de cargas capaz de armazenar e comparar, em tempo real, a conformidade entre as cobranças emitidas para o transporte e os valores negociados anteriormente.

    Desse modo, o sistema registra, inicialmente, os valores negociados conforme a tabela de frete do prestador de serviço de transporte.

    Após isso, a transportadora realiza o serviço de entrega e gera sua cobrança (CTe). A fatura, então, é inserida nesse mesmo sistema, que realiza a comparação entre os dois valores.

    Qualquer divergência é sinalizada imediatamente pelo programa, para que o profissional de logística analise o motivo da divergência e decida como proceder caso a caso.

    Desse modo, o índice de cobranças indevidas pode ser reduzido a zero, mesmo num cenário com centenas de CTes emitidos todos os dias.

    Desafio #2 – Seleção de transportadores

    As empresas que terceirizam seu transporte de cargas enfrentam diversos desafios relacionados à gestão dos fretes.

    Um deles é selecionar e contratar transportadores.

    O processo pode ser lento, considerando que muitos operadores logísticos não oferecem uma tabela de fretes definitiva, o que torna o processo de cotação mais trabalhoso, com muitas trocas de telefonemas e emails.

    Além disso, é preciso observar se o prestador de serviço atende aos critérios de qualificação da empresa. Essa é uma etapa fundamental para selecionar apenas parceiros capazes de atender às necessidades do transporte.

    Um terceiro passo é finalmente comparar o custo-benefício de cada opção de serviço, considerando principalmente o preço do frete e o prazo de entrega.

    Para esta dificuldade, a tecnologia é uma grande aliada. 

    Oportunidade: Cotações em tempo real

    Existem novas ferramentas online que possibilitam realizar cotações rápidas com diversas transportadoras ao mesmo tempo.

    Através delas, os embarcadores de cargas conseguem orçar rapidamente seus embarques com as transportadoras disponíveis, considerando, para isso, os locais de origem e destino e as características da carga, como tamanho, peso e volume.

    Isso é possível porque os prestadores de serviços de transporte definem suas tabelas de fretes e as incluem nas ferramentas de cotação, visando obter mais pedidos de fretes.

    Esta tecnologia ajuda tanto o embarcador a encontrar seu parceiro ideal, quanto a transportadora, que deseja oferecer cotações rápidas para conquistar mais clientes.

    Todos os lados saem ganhando, uma vez que o processo de contratação ganha agilidade e assertividade, otimizando assim o processo de entrega.

    Além disso, as próximas etapas, como embarque, transporte e entrega, também podem ser controladas de modo online a partir de tecnologias digitais dedicadas à gestão de transporte de cargas. Acompanhe nos próximos tópicos!

    Desafio #3 – Falta de informação sobre o transporte

    Uma reclamação comum entre os gestores de logística que terceirizam seu transporte é a falta de informação sobre o andamento da entrega.

    Quando o transportador sai com a carga do pátio da empresa, o embarcador fica às cegas sobre o que está acontecendo com o transporte, sem saber se ele ocorrerá no prazo planejado, se já foi finalizado, se houve avarias, etc.

    Isso prejudica o controle sobre a qualidade das entregas, dificultando que a empresa atinja seus KPIs desejados no que se refere à qualidade da entrega e à satisfação do cliente.

    Por essa razão, muitos embarcadores estão exigindo ferramentas de monitoramento em sua gestão de transporte.

    Oportunidade: Ferramentas de monitoramento

    As tecnologias de monitoramento do transporte são uma grande aposta das empresas que desejam ter maior controle sobre o andamento das entregas.

    Através delas, é possível acompanhar cada transporte em tempo real, utilizando para isso sistemas integrados, que conectam a empresa que possui a carga com o profissional que está realizando a entrega.

    Desse modo, é possível visualizar exatamente a situação de cada transporte, incluindo informações sobre a situação da entrega.

    Além disso, a tecnologia também permite gerar códigos de rastreamento para o recebedor da carga conseguir acompanhar o transporte.

    Isso significa que seu cliente não precisa ligar para consultar o status da entrega, ocupando seu time com serviços de atendimento ao consumidor.

    As ferramentas de rastreamento, além de aumentar o controle sobre a entrega, ajudam a proporcionar mais satisfação no consumidor, aumentando as chances de fidelizar o cliente e de aumentar o ticket médio de cada compra.

    Desafio #4 – Uso do EDI

    O EDI, ou Electronic Data Interchange, é uma tecnologia que permite que os sistemas de diferentes empresas compartilhem arquivos de modo padronizado.

    É através de EDI que um documento, como uma Nota Fiscal eletrônica, por exemplo, pode ser gerada pelo sistema emissor do embarcador e ser aberta pelo sistema da transportadora sem nenhuma dificuldade.

    Utilizar EDI contribui para uma maior eficiência do setor, uma vez que elimina o retrabalho de digitação, minimiza erros no preenchimento de dados e aumenta a agilidade na troca de informação.

    Por outro lado, não utilizar EDI pode aumentar suas taxas de atrasos, de imprevistos, do não comparecimento dos parceiros para os embarques, e até mesmo do número de multas, por conta da dificuldade de abrir e visualizar os arquivos compartilhados.

    Por essas razões, cada vez mais empresas investem em EDI para melhorar seu gerenciamento de transporte.

    Oportunidade: Ferramenta de gestão integrada

    Os sistemas de gestão de transporte de cargas são grandes aliados do profissional de logística.

    Através deles, é possível compartilhar arquivos com parceiros de um modo ainda mais eficiente, utilizando EDI.

    Além dos documentos fiscais utilizados no transporte, como NFe e CTe, através das ferramentas integradas é possível compartilhar ordens de serviço, tabelas de frete, faturas, minutas e muito mais.

    Em apenas alguns cliques, é possível gerar um embarque, por exemplo, e enviá-lo diretamente para o sistema de gestão da transportadora responsável. De lá, a parceira consegue visualizar todos os dados do transporte, incluindo dia e hora, informações da carga e notas fiscais para a emissão do CTe.

    As ferramentas de gestão integrada tornam a gestão de transporte de cargas mais assertiva e previsível, reunindo em um só lugar as informações sobre todos os transportes.

    É mais controle e facilidade para uma área já tão cheia de imprevistos e exigências.

    Aproveite para conhecer agora nossa ferramenta capaz de gerar até 11% de economia nos custos com transporte através da centralização da gestão de transporte de cargas. Faça como mais de 6 mil empresas e aposte na tecnologia da Hivecloud para alavancar seus resultados!