Blog hivecloud

Hivecloud promove webinar de logística sobre os impactos da Covid-19 no setor

Hivecloud promove webinar de logística sobre os impactos da Covid-19 no setor

(atualizado em 4 de maio de 2020, às 3:28 pm)

Índice

A Hivecloud promoveu seu primeiro webinar de logística de 2020 sobre a Covid-19 e as perspectivas para o mercado logístico no Brasil. A live, que aconteceu no dia 14 de abril, contou com a participação de grandes nomes do setor logístico brasileiro e a interação de mais de 1.600 pessoas online. Foi possível entender um pouco mais sobre a situação do cenário logístico nesse momento de crise e os impactos que o Coronavírus trouxe para o setor de transporte.

Entre os participantes do webinar, esteve presente o CEO da Hivecloud Daniel Brasil, como mediador do debate, trazendo importantes dados sobre os impactos da Covid-19 em diversos setores e levantando as principais dúvidas que rodeiam o setor logístico atualmente.

Foram convidados ao debate especialistas da área de logística: Mário Cardoso (CFO Praxio), Carlos Mira (CEO Truckpad), Emilio Saad (CEO Fusion DMS) e Tayguara Helou (Presidente do SETCESP). 

Confira as principais informações levantadas nesse encontro!

Primeiros impactos

No início de março, o Brasil começou a sentir os efeitos do Coronavírus. Eventos esportivos e outros acontecimentos que geram aglomeração começaram a ser cancelados, assim como o fechamento de escolas e outras instituições no setor educacional. 

Com as medidas de distanciamento social cada vez mais latentes, diversas atividades de atendimento ao público precisaram ser fechadas. Entre elas os restaurantes, lojas, shoppings e outros departamentos, até chegar à situação atual. Com todas essas mudanças, o setor logístico começou a sentir os primeiros impactos.

1. Trabalho remoto 

A adaptação ao home office que as transportadoras e outros segmentos da área logística estão passando foi um dos primeiros impactos sentidos, em virtude do Coronavírus, segundo a análise de Carlos Mira, do Truckpad, no webinar de logística. 

Isso porque não é um modelo de trabalho comum, principalmente no setor de transporte de cargas, mas as empresas se viram obrigadas a aderir o quanto antes para atender ao isolamento social.

Então o processo de digitalização de algumas atividades, que normalmente levaria mais de um mês para ser implantada, precisou ser estabelecida em uma média de 15 dias. O que levou à descoberta e ao uso de ferramentas digitais, que antes eram pouco ou nem sequer utilizadas pelas transportadoras.

2. Transporte de passageiros

De acordo com Mário Cardoso, diretor financeiro da Praxio, o impacto no setor de transporte de passageiros é mais grave que a maioria de outros setores na economia. No mercado de ações, essas empresas estão entre as mais penalizadas com a Covid-19. 

O movimento operacional do transporte de passageiros pode chegar a zero, devido às medidas de restrição cada vez mais urgentes. Isso porque é um setor que transporta pessoas, tanto para fins urbanos, turismo e eventos.

3. Transporte de cargas

Sobre o transporte de cargas, tanto fracionada quanto lotação, é um setor com um capital de negócio bastante intenso e com custos altos. Embora seja um serviço essencial, o transporte de cargas é atingido nesse momento com a diminuição na demanda de compra de produtos não essenciais. Ao mesmo tempo, precisa lidar com o aumento da distribuição de produtos fundamentais à população. 

Para Tayguara Helou, presidente do SETCESP (Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região), o grande desafio é ter que operar também com pouca carga para atender às demandas da população.

Acompanhe abaixo dois dos gráficos apresentados na pesquisa realizada pelo Departamento de Custos Operacionais da NTC&Logística, entre os dias 6 e 12 de abril de 2020, sobre o impacto do Coronavírus no transporte de cargas fracionada e lotação, a nível nacional.

Impacto no transporte de cargas fracionadas

gráfico variação da demanda em carga fracionada
Pesquisa da NTC&Logística apresentada no webinar de logística da Hivecloud sobre a queda no volume de carga fracionada.

Nesse primeiro gráfico, que representa as quedas no volume de carga fracionada, nota-se a menor variação ocorrendo nos mercados e supermercados (-27,19%), visto que são locais que vendem os produtos essenciais à população. 

Já os locais com maior variação da demanda foram as lojas diversas de rua (-58,37%), ou seja, aquelas em que a necessidade de compra no momento é reprimida.

Impacto no transporte de cargas lotação

gráfico variação da demanda em carga lotação
Pesquisa da NTC&Logística apresentada no webinar de logística da Hivecloud sobre a queda no volume de carga lotação.

No que diz respeito à variação da demanda por tipo de carga no modelo lotação, a área industrial de farmacêuticos foi a que menos sofreu queda na semana da pesquisa, com -5,07%.

Ao contrário do que ocorre na área de automobilismo, onde há uma queda significativa na demanda de -64,13%, acompanhada da linha branca também do setor industrial (-55,57%), que se refere aos eletrodomésticos não-portáteis.

Guerra de fretes

Outro assunto discutido durante o webinar de logística foi a grande queda no volume de transporte de cargas, que causou um aumento na competição de fretes.

Essa prática pode se tornar perigosa para a transportadora, isso porque a empresa que decide entrar em uma guerra de fretes fazendo diminuição da sua tarifa pode se prejudicar ainda mais financeiramente.

Os palestrantes concordaram que, nesse cenário de crise, o momento é de pensar de forma otimizada na gestão de caixa. Ou seja, cada estratégia deve ser bem analisada para não comprometer o financeiro da transportadora, que já está abalado pela crise do Coronavírus.

Impacto econômico para o PIB do transporte

De acordo com os números trazidos por Mario Cardoso, da Praxio, quando se fala do PIB brasileiro (que é o Produto Interno Bruto, ou seja, a soma dos bens e serviços finais utilizada como indicador de economia de uma região) e o impacto que ele sofre com a Covid-19, estima-se que o prejuízo seja entre 300 e 600 bilhões de reais. Trazendo para o setor de transportes, a expectativa é de uma perda do PIB de 11 a 21 bilhões de reais.

Ainda segundo Cardoso, o PIB do transporte vem há três anos crescendo modestamente: 1,2% em 2017, 2,2% em 2018 e apenas 0,2% em 2019. Mas nos anos de 2015 e 2016, houve uma diminuição no volume de negócios de quase 10%. Isso mostra que o setor de transporte ainda opera abaixo do nível de 2014.

crescimento do PIB do transporte nos últimos três anos
Gráfico que demonstra as informações dadas por Mario Cardoso da Praxio, durante webinar de logística da Hivecloud, a respeito do crescimento do PIB do transporte nos últimos três anos.

Como a falta de investimento público é frequentemente apontada como o maior fator que limita o crescimento do transporte, e levando em consideração o histórico do PIB nesse setor, os especialistas acham difícil acontecer uma recuperação econômica em pouco tempo.

A dica que eles levantam para o gestor de transportadora é investir em melhorias e ganhos operacionais. Compartilhamento de cargas, otimização da gestão de frete terceirizado, análise preditiva de demanda e otimização de supply chain (cadeia de suprimentos) foram alguns exemplos citados.

Desafio no e-commerce

Com o impacto econômico causado pelo fechamento dos estabelecimentos físicos, diversos negócios migraram rapidamente para o digital, incluindo comércios, serviços e até mesmo indústrias.

Segundo Emílio Saad, o processo começou com pequenos varejos criando e-commerces. Porém, rapidamente atacadistas e distribuidores de grandes redes começaram a trabalhar com e-commerces também. 

O desafio maior, segundo o especialista, é a previsibilidade da demanda. No modelo tradicional de vendas, com o representante comercial, a demanda é previsível. Porém, no digital, a demanda é altamente imprevisível, pois diversos clientes podem gerar pedidos a qualquer dia da semana. 

É por isso que a tecnologia tem sido uma grande aliada. Através de sistemas digitais, torna-se mais simples otimizar processos, melhorar o nível de serviço e ainda reduzir custos. Já existem diversas ferramentas para gestão de negócios digitais que podem trazer os mais variados benefícios para o negócio, sendo uma tendência durante a crise investir nelas.

Capacidade operacional das transportadoras

Após a greve dos caminhoneiros no ano de 2018, a população brasileira percebeu a importância do transporte de cargas para o abastecimento das cidades. Hoje, isso torna-se motivo de preocupação.

Pois, de acordo com uma pesquisa feita recentemente pela CNT (Confederação Nacional de Transportes) sobre os impactos da Covid-19 para os transportes, 53,7% das transportadoras têm recursos para operar em até, no máximo, um mês. O que evidencia a necessidade de medidas para auxiliar as empresas a enfrentarem essa crise.

Porém, segundo a fala do presidente do SETCESP no webinar de logística, o prejuízo na cadeia de abastecimentos não vai acontecer em curto prazo, apesar da possibilidade de falência de muitas transportadoras. De todo modo, é necessário um planejamento logístico adequado para suprir às necessidades de cada setor.

participantes no webinar de logística da Hivecloud
Tayguara Helou e os demais participantes do webinar de logística promovido pela Hivecloud.

Expectativas para o futuro

Com as mudanças que estão acontecendo, mesmo antes das medidas de isolamento social, a forma como as atividades de logística são realizadas já é diferente.

E nesse momento atual de crise como propulsor, as transportadoras e outras empresas do setor logístico são obrigadas, cada vez mais, a mudar a maneira como se relacionam na cadeia de suprimentos e a fazer parte da transformação digital.

Frota terceirizada no mercado atacadista distribuidor

Para Emilio Saad da Fusion DMS, o setor atacadista e distribuidor adere cada vez mais ao transporte terceirizado. Isso acontece em virtude das oscilações de venda que podem trazer prejuízo financeiro para quem tem frota própria, causando assim dois cenários: 

  • Falta de veículos quando há picos de venda, o que causa uma baixa no nível de serviço; 
  • Veículos parados quando há baixas na venda, o que também gera prejuízo. 

Logo, a partir do momento em que há uma experiência positiva com as transportadoras, os atacadistas terceirizam 100% da entrega. E isso gera para as transportadoras a responsabilidade de manter o mesmo nível de serviço oferecido pela frota própria, ou maior. 

Para isso, a tecnologia vem a ser uma grande aliada para o gestor de transportadora. Com ela, é possível realizar a gestão de transporte de maneira otimizada, com informações completas do cliente e do status da mercadoria em tempo real.

Tecnologia a favor da logística

Com a quantidade de ferramentas digitais disponíveis no mercado, é possível que tanto transportador quanto embarcador otimizem suas operações dentro da cadeia de suprimentos.

1. Monitoramento de carga para embarcador

Para o embarcador, já é possível monitorar e realizar auditoria da sua carga por meio de sistemas 100% online, além de realizar a cotação de frete entre suas transportadoras. Contar com uma ferramenta como o Hivecloud 3PL ajuda a reduzir os custos com transportadoras e simplifica diversos processos para a empresa.

2. Gestão de frete para transportadora

O gestor de transportadora também pode contar com ferramentas online para realizar uma melhor gestão da sua transportadora. Ele terá uma visão completa de toda mercadoria e o status desde a coleta até a entrega ao cliente. Em um sistema TMS (Sistema de Gestão de Transporte) como o da Hivecloud, a transportadora tem todas as suas atividades centralizadas em um único sistema:

  • Controle e gestão da mercadoria do cliente;
  • Controle e gestão completa da frota;
  • Aplicativo para acompanhar em tempo real sobre a entrega;
  • Emissão de documentos como CTe e MDFe, além do CIOT;
  • Sistema de gestão financeira específico para transportadoras;
  • Integração via EDI.

3. Frete online para transportadoras

Hoje as transportadoras podem aparecer para embarcadores de todo Brasil por meio de sites de frete online, como o Fretelink. O gestor de transportadora cadastra sua empresa para aparecer nos resultados de pesquisa de frete feita pela empresa embarcadora. A transportadora pode ainda exibir o seu valor na hora, de acordo com cotação feita.

Para a empresa embarcadora, contar com uma plataforma de frete online ajuda a reduzir o tempo de negociação e permite mais agilidade nas operações logísticas. O que com certeza levaria mais tempo ao ter que ligar para diversas transportadoras, esperar receber a tabela de fretes por e-mail e analisar qual tem o melhor preço.

4. Inteligência Artificial para transporte, logística e armazenagem

Para transportadoras que necessitam automatizar a sua empresa, o sistema ERP Cargas e Logística da Praxio é totalmente pensado e desenvolvido para o setor de transporte rodoviário.

O software possui recursos que otimizam e integram os processos dos departamentos da transportadora, e robôs que realizam diversas etapas da operação. O que torna tudo mais ágil e diminui os erros, já que não há mais tanta necessidade da intervenção humana.

O ERP disponibiliza aplicativos que permitem o controle da jornada do motorista, o checklist do veículo e efetivam a coleta e a entrega da carga transportada.

Também exibe todas as informações das operações de transporte em painéis separados de acordo com a realidade da transportadora e a necessidade do cliente, além de permitir a visualização de diversos indicadores de performance.

5. Aplicativo de cargas para caminhoneiros

Os caminhoneiros autônomos e transportadoras podem contar com aplicativos de celular que ajudam a encontrar cargas para transportar de acordo com a sua disponibilidade, como é o caso da solução oferecida pelo Truckpad.

Ao baixar o aplicativo, o caminhoneiro informa o seu tipo de caminhão e logo em seguida pode pesquisar por uma carga, a partir do local de partida e do destino escolhidos. Nos resultados de pesquisa, aparecerão as opções de carga disponíveis com as informações da empresa embarcadora e um botão para entrar em contato.

6. Gestão de entrega para atacadista e distribuidor

Para os atacadistas e distribuidores que necessitam realizar a montagem de cargas, o monitoramento de veículos e fazer a gestão dos seus motoristas de forma mais eficiente e automatizada, o sistema oferecido pela Fusion DMS é capaz de ajudar nessas atividades.

Com a funcionalidade de fazer um roteiro e que ajuda a montar cargas automaticamente, o usuário terá acesso ao melhor agrupamento, sequência e trajetos para fazer as suas entregas. Cada veículo pode ser monitorado pelo gestor atacadista e distribuidor, onde ocorrendo qualquer desvio do roteiro estabelecido, ele é prontamente notificado.

Bom, esses foram os assuntos abordados em nosso primeiro webinar de logística de 2020. Se você perdeu e quer ter acesso ao conteúdo completo, além de ser o primeiro a receber informações sobre os próximos eventos, inscreva-se agora! Clique no banner abaixo e aproveite nosso material gratuito.

webinar de logística hivecloud acessar

Conteúdo relacionado