Blog hivecloud

As 7 apostas em tecnologia para logística na crise de Covid-19

As 7 apostas em tecnologia para logística na crise de Covid-19

(atualizado em 14 de agosto de 2020, às 4:36 pm)

Índice

A tecnologia no setor de logística vem ganhando destaque nos últimos tempos, principalmente no ano de 2020. É que a pandemia causada pela Covid-19 gerou uma grande crise econômica afetando diversos mercados.

As medidas de quarentena fizeram diversas indústrias pararem sua produção. Empresas que importavam insumos sofreram com a falta deles, uma vez que os modais de transporte de mercadorias também tiveram suas restrições.

Tudo mudou após o avanço da pandemia pelo mundo. Mas apesar dos prejuízos a longo prazo, as indústrias voltam a ganhar força com a ajuda da tecnologia, que se mostra cada vez mais relevante em momentos de reorganização de processos para dar mais segurança aos funcionários.

Falaremos neste artigo sobre 7 apostas em tecnologia para logística. Veremos como as indústrias têm retomado suas atividades de forma segura e sem perder a produtividade que o setor logístico necessita.

1. Robôs de desinfecção

Robôs de desinfecção na logística

Com a necessidade de cumprir os protocolos de segurança estabelecidos pelos órgãos de saúde, a higienização no ambiente de trabalho é uma prioridade máxima, tanto para os funcionários quanto para os produtos que estão sendo manipulados.

Por causa dessa necessidade, treinar a equipe de limpeza e habituar os demais funcionários a uma rotina intensa de higienização e proteção, como o uso de máscaras em tempo integral, veio a ser um grande desafio.

Por esse motivo, podemos destacar como primeiro dispositivo de tecnologia na logística o uso de robôs para desinfecção de grandes ambientes industriais. São máquinas produzidas especialmente para essa função se locomovendo de maneira autônoma.

Inicialmente usados no setor de saúde como hospitais e laboratórios, os robôs de desinfecção possuem tecnologia ultravioleta. São equipados com lâmpadas UVA/UVB/UVC capazes de destruir qualquer tipo de vírus, assim como fungos e bactérias.

Após um teste realizado recentemente por um instituto de biomedicina do Texas, nos Estados Unidos, os resultados mostraram que o robô LightStrike destruiu o SARS-CoV-2 em dois minutos. 

Dados como esse estão estimulando indústrias no mundo todo a utilizarem máquinas nos armazéns e nas áreas de produção, principalmente no setor alimentício, para desinfectar os ambientes e combater a Covid-19. Já as máquinas de outros modelos, mais tradicionais, agem pulverizando soluções de produto de limpeza. 

Mas a grande vantagem que esses robôs proporcionam é a autonomia, uma vez que agem automaticamente e de forma programada. Basta programar por controle remoto ou aplicativo os horários em que não há funcionários no local para que o robô faça a desinfecção do ambiente. Dependendo do modelo, um robô pode esterilizar de 20 a 36 mil metros quadrados em uma hora.

2. Identificação sem contato

Tecnologia de Identificação facial

Outra tecnologia que já tem sido implantada na logística são os novos modelos de relógio de ponto. Isso porque os dispositivos mais tradicionais, que funcionam através de cartões colocados no equipamento ou inserindo o dedo para leitura de digital, exigem o contato físico entre os funcionários e o objeto, uma ação que gera ainda mais riscos de contaminação.

Diante disso, grandes indústrias estão investindo em equipamentos de identificação biométrica sem contato. É só aproximar a mão “cadastrada” no aparelho sem tocá-lo para que ele identifique os dados e autorize a entrada do funcionário.

Além desse modelo, também existe o reconhecimento facial, uma tecnologia que já é amplamente usada em hospitais, indústrias químicas, usinas nucleares e outros setores onde as medidas de higiene já eram indispensáveis, antes mesmo da pandemia. 

Dispositivos de identificação como esses também podem ser úteis em portas automáticas para identificar quem deseja entrar em determinado ambiente, sendo essa mais uma forma de evitar o contato físico.

3. Exoesqueletos para carregamento pesado

Exoesqueletos para carregamento pesado

O processo de carregamento e descarregamento de peças e caixas numa indústria pode exigir que os funcionários trabalhem próximos um ao outro, a fim de aliviar o transporte de um objeto possivelmente pesado.

Mas por razões de distanciamento social, outra aposta de tecnologia na logística é o uso de exoesqueletos por funcionários responsáveis por essa atividade. Esse tipo de equipamento permite ao funcionário carregar peças de até 100 kg como se elas pesassem apenas 1 kg.

Empresas como BMW, Ford e Audi já usam exoesqueletos na indústria automotiva. São aparelhos leves que, ao serem vestidos pelo funcionário, distribuem melhor o peso dos objetos levantados e consequentemente diminuem dores nas costas.

O trabalhador consegue levantar, abaixar, carregar e descarregar facilmente objetos pesados de centenas de quilos, dependendo do modelo de exoesqueleto. Essa tecnologia não só evita aglomeração como também aumenta a produtividade profissional e otimiza a rotina logística.

4. Câmeras de imagem térmica

Câmeras de imagem térmica

A câmera de imagem térmica já é uma tecnologia bastante conhecida, principalmente em casos anteriores de epidemias pelo mundo.

Seu uso é comum nos aeroportos para medir a temperatura de várias pessoas ao mesmo tempo quando passam em um determinado local, como o embarque e o desembarque.

Pela febre ser um dos principais sintomas da Covid-19, as câmeras térmicas são ótimas aliadas para detectar se um indivíduo está ou não com temperatura alta.

Integrada a um software, essa tecnologia possibilita às indústrias retomarem suas atividades de forma mais segura, uma vez que identificam rapidamente quadros de febre quando o funcionário chega no local de trabalho.

5. Descarregamento automatizado de contêineres

Descarregamento automatizado de contêineres

O processo de descarregar cargas manualmente de contêineres é bem desafiador no setor de logística. Lidar com o peso das mercadorias e a manipulação de produtos perigosos são exemplos de cuidados que necessitam atenção de gestores em relação aos seus funcionários.

É pensando na melhoria desses procedimentos que o uso de máquinas para o descarregamento de contêineres têm auxiliado indústrias de diversos mercados. São equipamentos semiautomáticos capazes de descarregar até 800 peças por hora, bastando apenas um funcionário para operar a máquina.

Além de evitar aglomeração de funcionários e o contato físico em objetos manipulados por mais de uma pessoa, o descarregamento automatizado pelas máquinas agiliza significativamente a rotina de uma empresa nessa área logística.

Uma máquina semiautomática é capaz de render duas vezes a produtividade de quatro funcionários, quando realizam juntos o descarregamento manual. Isso reduz taxas como tempo de espera, custos com seguro e custos com licença médica em caso de acidentes.

6. Armazenamento automático

Armazenamento automático

Como você pode notar, o investimento em processos automatizados já uma realidade no cenário brasileiro, onde médias e grandes indústrias reconhecem cada vez mais a necessidade da tecnologia na atividade logística.

Mais um exemplo disso é a armazenagem automática de produtos através de máquinas e sistemas de gestão. São estruturas que organizam e gerenciam de forma inteligente e bastante rápida os itens que são distribuídos.

O método de armazenamento automático é realizado a partir de softwares programados para diversas funções de armazenagem. Máquinas como transelevadores, carros shuttle e satélite, empilhadeiras e demais equipamentos proporcionam a presença de menos funcionários em funções de contato físico, otimizam espaços, garantem mais segurança nos procedimentos e reduzem danos às mercadorias.

7. Gestão de transporte terceirizado pela internet

Gestão de transporte terceirizado pela internet

A logística é um dos maiores custos que uma empresa possui, chegando a consumir 12,37% do faturamento de companhias brasileiras. Apesar de já ter sido considerada uma etapa imprevisível, é um setor que ganha cada vez mais segurança e controle 100% digital, graças aos investimentos em tecnologia de sistemas de gestão de transporte.

Através de sistemas para controle de frete como o 3PL (Controle de Terceiros), o embarcador de cargas consegue realizar diversas atividades na plataforma:

  • Solicitar coletas e entregas às transportadoras terceirizadas;
  • Monitorar de forma automática as mercadorias que estão sendo transportadas;
  • Compartilhar informações e documentos com transportadoras;
  • Realizar auditorias de frete a fim de reduzir custos com transporte;
  • Obter relatórios de desempenho relacionados aos fretes monitorados no sistema.

A tecnologia investida na área de controle de fretes vai além de um relacionamento digital e prático com as transportadoras. A etapa logística tem um melhor desempenho sem causar aglomerações nos terminais de carga e descarga e evita o compartilhamento de documentos impressos.

Guia da Terceirização Logística

Essas foram apenas algumas das diversas tecnologias digitais que já estão presentes na logística.

São poderosas ferramentas que vêm otimizando processos, gerando desempenho e proporcionando mais segurança aos funcionários, estando em momentos de crise ou não.

Resultados como esses podem ser alcançados quando você aplica práticas eficientes que vão otimizar a logística da sua empresa.

Pensando nisso, criamos o Guia da Terceirização Logística. Um material gratuito que vai ajudar você a encontrar focos de redução de custos e aumentar a eficiência do gerenciamento de transportes terceirizados. 

Você vai entender os principais custos que envolvem o valor de um frete e saber utilizar os principais indicadores de desempenho para otimizar o seu negócio. 

Conteúdo relacionado