DistribuidoraE-commerceGestão de TransporteIndústriaLogística

Centro de distribuição: o que é, como funciona, desafios e por que investir

15 minutos de leitura
Centro de distribuição: o que é, como funciona, desafios e por que investir
Daniel Brasil
Escrito por:
Atualizado em 27 de abril de 2021

Índice

    Nos últimos anos, a logística vem ganhando espaço como um dos principais fatores de sucesso das empresas, sendo o centro de distribuição um grande participante desse avanço.

    Ter uma unidade que armazene as mercadorias próxima das regiões de entrega para agilizar essa etapa logística gera um diferencial competitivo importante e impacta na satisfação do cliente, seja ele uma pessoa física ou jurídica. 

    Mas, investir em um centro de distribuição não é um passo simples. Existem desafios nesse caminho que o empresário precisa conhecer antes de tomar qualquer decisão.

    Confira neste artigo as respostas para as principais dúvidas que rodeiam esse assunto: o que é e como funciona um CD, quais são os benefícios, pontos de atenção e muito mais!

    O que é um centro de distribuição?

    O centro de distribuição é um espaço físico onde as mercadorias que saem da fábrica ficam armazenadas até serem transportadas para os pontos de venda ou para o consumidor final.

    Também é um ponto estratégico por garantir mais agilidade nas entregas, já que concentra os produtos mais próximos dos clientes e são despachados conforme as demandas de compra.

    É válido frisar que um centro de distribuição pode ser tanto de uma empresa que deseja concentrar seus produtos e gerenciar melhor seu estoque, quanto de uma transportadora de grande porte que armazena os produtos de diversos clientes.

    Os CDs são grandes galpões em um terreno extenso, não apenas para armazenar uma boa quantidade de mercadorias mas também para dar conta do volume de veículos que chegam no pátio diariamente.

    área interna de um centro de distribuição com milhares de mercadorias
    Área interna de um centro de distribuição com diversas mercadorias.
    pátio de uma central de distribuição
    Pátio da empresa americana Amazon onde os caminhões trafegam no centro de distribuição.

    Como funciona um centro de distribuição?

    Uma central de distribuição não é responsável apenas por receber e despachar as mercadorias. Existem outras funções que fazem dessa área logística um meio de economia por toda estrutura que ela oferece às empresas. 

    Confira a seguir, em etapas, quais são as funções de um centro de distribuição.

    1. Recebimento 

    Aqui se iniciam as atividades de um centro de distribuição através do recebimento dos produtos. Devido ao fluxo frequente de mercadorias, é preciso:

    • agilidade dos funcionários para receber as cargas que chegam nas docas;
    • descarregar os produtos dos caminhões de forma adequada para não haver danos;
    • conferir toda mercadoria para saber se chegou conforme o que consta na documentação.
    equipe logística conferindo mercadorias
    Equipe de funcionários conferindo os produtos que são descarregados nas docas.

    2. Movimentação

    Nessa segunda etapa, as mercadorias descarregadas nas docas começam a ser organizadas nos setores do centro de distribuição conforme as ordens de compra.

    Esse transporte interno de cargas pode acontecer com duas finalidades: tanto para armazenagem no CD, até que chegue o momento do produto sair para um destinatário, quanto para ir diretamente às docas de carga a fim de ser despachado para uma nova etapa de transporte.

    A movimentação de mercadorias exige agilidade e bastante cuidado porque, apesar de grandes, os centros são espaços que possuem muitas cargas e máquinas em circulação. Logo, um descuido pode prejudicar não só os produtos, como também causar acidentes de trabalho.

    profissional movimentando mercadorias no galpão
    Movimentação de mercadorias no CD.

    3. Armazenamento

    Um fato interessante da etapa de armazenamento em um centro de distribuição é que os produtos não passam muito tempo parados no galpão.

    As mercadorias ficam armazenadas no período suficiente para atender aos pedidos de compra dos clientes. É bastante comum, por exemplo, que as cargas cheguem ao CD apenas para serem trocadas de veículo e já saírem para outro transporte.

    4. Separação

    No processo de separação, as mercadorias começam a ser separadas para a próxima etapa que é a de expedição. É uma etapa que necessita organização na conferência dos produtos de acordo com a documentação em mãos.

    Assim, tudo é despachado na doca certa e no prazo certo, a fim de evitar erros operacionais e atrasos nas entregas.

    profissional conferindo mercadorias no setor de separação
    Conferência de produtos prontos para serem despachados.

    5. Expedição

    Após a separação, os produtos são carregados nos caminhões que ficam nas docas de saída e são transportados até os clientes. Essa etapa de transporte é feita tanto por veículos da própria empresa quanto por fornecedores logísticos, como é o caso das transportadoras.

    Além de tudo isso, é comum haver nos CDs a colocação de embalagens, rótulos nos produtos e até mesmo a emissão de notas fiscais.

    Layout de um centro de distribuição

    É importante saber que para cada etapa funcionar perfeitamente é necessária uma boa organização de cada setor. A unidade precisa ter um layout (organização) que atenda à dinâmica dos processos que ali ocorrem.

    Essa organização pode acontecer de duas maneiras:

    • Layout de acordo com o fluxo de mercadorias – com o intuito de evitar gargalos, a organização dos setores pode ter uma linha reta seguindo o fluxo dos produtos. Logo, na ponta inicial ficam os recebidos, no meio os que são armazenados e na ponta final os que serão expedidos.
    • Layout de acordo com o giro de mercadorias – nesse formato, os produtos de maior giro têm prioridade no setor de separação. Com o objetivo de otimizar a produtividade, costuma-se usar esteiras elevadas para que essas mercadorias sejam encaminhadas para a separação a fim de deixar os espaços mais livres.

    Lembre-se: um centro de distribuição bem estruturado agiliza os processos internos, evita transtornos operacionais e diminui os custos com equipe e ferramentas.

    esteiras transportando mercadorias mais rapidamente
    Esteiras por onde as mercadorias com maior giro são transportadas.

    Cross Docking no centro de distribuição

    O cross docking (cruzamento de docas) é uma estratégia logística bastante vantajosa para empresas que escolhem não ter um armazém dos seus produtos, como uma distribuidora, um e-commerce ou uma loja física.

    O objetivo principal desse sistema é eliminar os custos com estocagem e facilitar a vida de empresas que não possuem um espaço para armazenamento.

    Uma vez comprados em um e-commerce, por exemplo, os produtos são coletados nos fornecedores e são enviados através de transportadoras aos centros de distribuição mais próximos dos clientes.

    Ao chegar no CD, a mercadoria não passa mais do que 24 horas armazenada e segue em pouco tempo para expedição. Isso ocorre independentemente dos tipos de cross docking, que podem ser:

    • Cross docking de movimentação contínua – os produtos não param no centro de distribuição, ou seja, assim que chegam, são encaminhados diretamente para as docas de expedição, sendo esse o modelo mais tradicional.
    • Cross docking de movimentação híbrida – aqui, a mercadoria que chega é dividida em duas partes, onde uma é despachada diretamente para a expedição e outra aguarda mais um tempo no armazenamento, para se juntar a outros itens que estão para chegar e assim compor um pedido completo.
    • Cross docking de movimento de distribuição – esse último modelo é mais comum no formato de negócio Business To Business (B2B), em que uma única carga que chega no CD ocupa todo o espaço de um caminhão e sai para entrega.

    As vantagens que a estratégia de cruzamento de docas traz para as empresas que apostam nessa logística são diversas: desde economia e diminuição do risco de furtos até a satisfação dos clientes.

    >> Confira nosso conteúdo completo sobre Cross Docking e tire suas dúvidas.

    Qual a diferença entre centro de distribuição e armazém?

    O processo de armazenamento que existe numa unidade de distribuição pode ser confundido facilmente com um armazém, ainda mais quando envolvemos o cross docking e a sua solução de suprir a falta de um local de estoque para as empresas.

    Mas os objetivos de cada um trazem à tona as suas diferenças e é isso que veremos a seguir.

    Um centro de distribuição é mais dinâmico e o sucesso do seu funcionamento é focado no cliente, de maneira que todos os processos que ocorrem dentro dele e as ferramentas utilizadas visam agilizar as entregas em prazos mais curtos. Logo, a mercadoria não fica armazenada por muito tempo.

    Já o armazém tem uma dinâmica mais lenta e é focado na empresa e em sua área de produção. Nele ficam guardadas não só as mercadorias, como também todos os materiais para fabricação.

    O armazém consegue guardar os materiais de produção, por exemplo, por um longo período, obedecendo às regras de armazenamento, principalmente em períodos de alta demanda.

    O que você deve considerar antes de montar um centro de distribuição

    Como falamos no início desse artigo, criar um centro de distribuição não é uma decisão fácil de se tomar. Além de capital para um investimento desse tamanho, é preciso considerar mais alguns fatores importantes, como: localização, estrutura do negócio e mão de obra.

    1. Localização

    A localização de um centro de distribuição tem impacto direto sobre a etapa de entrega dos produtos. Por isso é necessário um bom planejamento estratégico para implantar o CD no local ideal, como próximo às vias que facilitem o transporte de mercadorias.

    Também é importante estudar o trânsito da região e mapear a proximidade dos fornecedores, assim como as unidades de abastecimento e os clientes que podem ser atendidos.

    Como já falamos, o centro de distribuição deve ser em um terreno amplo, composto por um galpão que você pode alugar ou construir, e com pátio espaçoso para circulação e estacionamento dos caminhões.

    Dependendo da localização e das políticas que cada estado usa para cobrar os tributos, como ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços), a empresa também pode pagar mais ou menos impostos relacionados ao centro de distribuição.

    2. Estrutura do negócio

    A estrutura de negócio envolve dois pontos: o modelo e o porte da empresa que pensa em montar um centro de distribuição.

    Se a sua empresa faz parte dos segmentos indústria, atacadista, distribuidora ou e-commerce, esse pode ser um ótimo investimento. Mas será que vai ajudar as suas entregas de alguma forma?

    Bom, é preciso também analisar se você possui um número suficiente de clientes para a implantação de um CD fazer sentido. Caso o contrário, isto é, se o fluxo de mercadorias que passam na central for muito baixo, dar continuidade a esse investimento pode ser um erro.

    3. Mão de obra

    Além de ter uma boa localização e entender as demandas da empresa, é preciso saber o tamanho da mão de obra que precisará investir para fazer o centro de distribuição andar.

    Vale a pena financeiramente para o seu negócio reunir os funcionários, que já trabalhavam em estoques descentralizados, em um único local? Sendo provavelmente necessário contratar novas pessoas? No ponto de vista de gerenciamento de pessoas pode ser que sim.

    Mas além dos custos com funcionários para esse setor logístico, também é preciso considerar os gastos com tecnologia para as operações do CD e com equipamentos de proteção individual e coletiva, os quais são fundamentais para a segurança no trabalho.

    Como gerenciar um centro de distribuição

    Quando tudo caminha conforme o planejado, os setores do centro de distribuição funcionam perfeitamente e atendem às demandas dos clientes, o desempenho logístico da empresa só tem a crescer.

    Para alcançar esse sucesso, é importante ter um bom gerenciamento do CD. Confira como fazer isso a seguir.

    Controle de qualidade

    Se fosse necessário entregar apenas uma dica para gerenciar uma central de distribuição, esse conselho seria: ter um bom controle de qualidade das mercadorias.

    É muito importante prezar pelo perfeito estado dos produtos, desde o momento em que eles chegam ao CD até o transporte aos destinatários. Isso porque quando se trata de produtos perecíveis, como alimentos, as especificações de armazenamento merecem ainda mais atenção.

    Uma mercadoria violada ou uma “simples” avaria pode não apenas gerar insatisfação do cliente como também prejuízos financeiros à empresa, como multas e despesas em virtude dos produtos danificados.

    Implantação de sistema WMS

    Uma ferramenta aliada nos centros de distribuição é o sistema WMS (Sistema de Gerenciamento de Armazém), que ajuda a controlar todas as movimentações no galpão para que os processos fiquem mais organizados.

    O WMS pode ajudar a empresa em diversas frentes do centro de distribuição, como, por exemplo:

    • Agendamento de horário e local específico do recebimento de mercadoria;
    • Conferência dos volumes durante o recebimento e registro de inconformidades;
    • Endereçamento das mercadorias nas dependências do CD com identificação via código de barras ou RFID;
    • Facilitação do controle e identificação dos produtos na hora da expedição;
    • Controle de caminhões autorizados a acessar o pátio para descarregar e coletar produtos.

    >> Saiba mais sobre o sistema WMS e a sua função no armazenamento de mercadorias

    Tecnologia para gestão de entregas

    Para que o centro de distribuição faça ainda mais sentido, é preciso contar com tecnologia especializada na gestão de entregas e isso engloba tanto as empresas que têm sua própria frota de veículos quanto as organizações que terceirizam o transporte.

    O motivo? É que no meio de todas as operações de transporte de cargas está o CD, cujo desempenho também depende dos prazos e qualidade de entrega.

    Essa dependência acontece quando a mercadoria sai da fábrica para a central de distribuição e também quando ela sai do CD para fazer a última etapa de transporte conhecida como last mile.

    Logo, investir em um sistema de gestão de entregas garante controle, registro e monitoramento de todos os estágios de transporte.

    Havendo a comunicação entre o setor de transporte e os processos do centro de distribuição, é possível garantir uma entrega na melhor qualidade possível aos clientes.

    Outra tecnologia aliada na gestão de transporte é o sistema roteirizador, que oferece às empresas rotas inteligentes para cada entrega, considerando fatores externos à logística do negócio e personalizados, como:

    • Janela de entrega do cliente;
    • Prioridades de cada entrega;
    • Trânsito da região;
    • Taxas e de pedágio e etc.

    Vantagens de investir no centro de distribuição

    Se você chegou até aqui e ainda tem dúvidas sobre o centro de distribuição ser um bom investimento para seu negócio, deixaremos aqui as principais vantagens que essa estrutura logística traz para as empresas que apostam nela.

    Mais controle sobre processos

    A centralização de estoque permite mais controle sobre cada setor do centro de distribuição. Consequentemente, esse controle gera melhor encaminhamento das cargas em cada área do CD e evita mercadorias perdidas pelo galpão.

    Estoque centralizado

    Um centro de distribuição serve como um estoque centralizado de mercadorias, já que ele agrupa tanto as cargas que chegam dos fornecedores quanto os produtos que saem para distribuição em um só lugar.

    Além de ser mais uma forma de garantir controle logístico, essa centralização melhora o relacionamento com os parceiros envolvidos e diminui os riscos de faltas de produtos, perdas e excessos de mercadoria.

    Gestão de sazonalidade

    A gestão unificada presente em um CD ajuda também no controle da sazonalidade, visto que é possível monitorar e gerenciar melhor os níveis de estoque e movimentação dos produtos em períodos de alta ou baixa demanda de vendas.

    Agiliza as entregas

    Outra vantagem e uma das principais é a oportunidade de entregas mais ágeis, já que ter  um galpão para centralizar as mercadorias mais perto dos clientes é um grande diferencial competitivo.

    Se a concorrência leva mais de uma semana para fazer entregas aos clientes, quem conta com um centro de distribuição consegue reduzir esse período em pouquíssimos dias.

    É claro que essa redução também depende de outros fatores, mas é certo que ter esse sistema otimiza as entregas de modo a alcançar métricas de On Time In Full (em português, “no tempo e completo”), um dos mais relevantes indicadores de desempenho logístico.

    Consequentemente, essa agilidade deixa o cliente mais satisfeito, pois fica notável o nível de serviço das entregas, assim como a preparação do time responsável por esse serviço.

    Redução de custos

    Sim, adotar um centro de distribuição também pode gerar economia com despesas logísticas. Na área de transporte, por exemplo, a redução de custos pode acontecer independentemente do modelo de entregas.

    Se possui frota própria, o centro de distribuição mais próximo dos clientes ajuda na economia com combustível e na manutenção de veículos. E se terceiriza o transporte, também é possível reduzir custos encaminhando o frete de cargas para o mesmo local.

    E como já falamos ao longo desse artigo, os custos com armazenagem e estoque também são impactados por todo o sistema que uma central de distribuição proporciona, já que a centralização dos produtos em um único local diminui despesas com pessoas, ferramentas e aluguel para outros espaços que o CD substitui.

    Comece agora!

    Mais que um simples armazém, o centro de distribuição é um agente importantíssimo na cadeia de suprimentos! Além de deixar sua empresa na frente da concorrência, coloca o seu negócio mais próximo dos seus clientes e gera valor para ambos os lados.

    Mas reforçamos os questionamentos que você deve fazer: o CD é para o meu tipo de empresa? Minhas demandas realmente necessitam de um ou isso será mais uma despesa?

    Planeje, estude os pontos positivos e negativos, converse com outras empresas que possuem um CD para entender um pouco mais como é na prática e vá em frente!

    Ah! E não esqueça de ter sempre em sua gestão logística um sistema de entregas, que é essencial para qualquer que seja o seu modelo de transporte e independe de um centro de distribuição.

    Implantar em sua logística uma tecnologia para gestão de transporte é um dos maiores investimentos que você pode fazer para o seu negócio, pois garante total controle sobre os transportes e reduz seus custos logísticos!

    sistema 3pl para gestão de entregas

    Índice

      Artigos relacionados

      O Canvas do Transporte de Cargas: a ferramenta ideal para monitorar os processos de sua transportadora
      Gestão de Transporte

      O Canvas do Transporte de Cargas: a ferramenta ideal para monitorar os processos de sua transportadora

      Ler conteúdo
      Contratar transportadora: cuidados que sua empresa precisa ter
      Distribuidora

      Contratar transportadora: cuidados que sua empresa precisa ter

      Ler conteúdo
      Gestão de frotas: veja os benefícios e como fazer na sua empresa
      Distribuidora

      Gestão de frotas: veja os benefícios e como fazer na sua empresa

      Ler conteúdo
      4 dicas para análise de uma operação de transporte de cargas
      Gestão de Transporte

      4 dicas para análise de uma operação de transporte de cargas

      Ler conteúdo